terça-feira, 27 de maio de 2014

Guimarães Rosa: A moça

A moça atrás da vidraça
espia o moço passar.
O moço nem viu a moça,
ele é de outro lugar.

O que a moça quer ouvir
o moço sabe contar:
ah, se ele a visse agora,
bem que havia de parar.

Atrás da vidraça, a moça
deixa o peito suspirar.
O moço passou depressa,
ou a vida devagar? 

Guimarães Rosa
In Ave, Palavra, 1970 
 
Ps. O poema até onde sei não tem um nome, mas como peguei uma mania 'estranha' de colocar título, assim o fiz. Perdoem-me rs. Bjs, Criss

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja sempre bem-vindo! =)